quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Cordofonias - Repertório para Grupos Escolares 1




Assiste-se hoje a uma movimentação dos cordofones populares madeirenses, nos panoramas da educação e da cultura regional, como não se assistia anteriormente.
Já lá vai o tempo em que estes estavam cingidos às práticas ditas rurais, tal como aconteceu durante largos anos, a rondar a centena.
Não é que se queira – e nem se pode – “livrar-se” da música tradicional. Não se pode, simplesmente, por ser uma identidade cultural!

Mas a realidade é que o braguinha, o rajão, a viola de arame, e o bandolim e sua demais família, podem também intervir noutros panoramas musicais. 
Vemos hoje em dia jovens que no seu contato com estes instrumentos, têm a possibilidade e a liberdade de tocar músicas que ouvem nos seus meios, e que as escolhem para os seus gostos estéticos. A par disto, também através dos mesmos, devem conhecer outros espécimes musicais que possam-lhes passar despercebidos. (Da música tradicional, entenda-se).

Hoje, observamos também outras renovações, como por exemplo, poder já tocar num braguinha elétrico construído de raiz; ouvi-lo numa banda de rock; ou ouvir um concerto de machete e orquestra.
Ainda relativamente a repertórios, há a referir - mesmo não sendo disso que este produto hoje apresentado trata -, o surgimento de composições dedicadas aos “nossos” instrumentos.

Resultante de uma partilha de materiais – neste caso, arranjos para cordas para pequenos agrupamentos, este novo instrumento didático, o CD-ROM “Cordofonias - Repertório para Grupos Escolares 1”, tem como uma das suas principais funções não só contribuir para este movimento de valorização dos cordofones tradicionais, mas também de uma constante partilha entre professores. Por isto, congratulamos os professores que investem em arranjos próprios para aplicar nas suas salas de aula com os seus grupos escolares.

Esta edição pretende ainda contribuir para o despertar de iniciativas, que podem passar pela criação de grupos musicais estruturados e regulares (adoptar um nome, indumentária própria, repertório, et cetera), no sentido de continuar a promover o ensino dos cordofones populares no cenário escolar regional.


Sem comentários:

Publicar um comentário